sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Q.I.

Foto Google

Aqui há uns tempos, ofereceram-me um calhamaço de livro, que contém inúmeros testes para medir a nossa inteligência. Hoje fiz um desses testes, por curiosidade. Acho que vou ficar viciado naquilo, como fiquei no Sudoku. O Sudoku é como o tabaco: é livrar de comprar a primeira revista, depois é tarde demais. O teste consiste em responder a dois conjuntos de quarenta perguntas lógicas, que variam entre geometria, vocabulário e intuição matemática para as séries, em dois períodos de meia hora.
As séries sempre me deram cabo da cabeça nos estudos, era aquela matéria chata como tudo que não servia para nada, ou pelo menos assim pensava na altura. Mas agora, que sou mais ajuizado, sei perfeitamente que não é assim. As séries têm aplicação prática, que é a de responder a testes de QI. Quando acabei os testes, olhei para as minhas respostas e verifiquei que não tinha respondido a todas as perguntas, mas regras são regras e as meias horas tinham expirado.
Abri a página das soluções e verifiquei que tinha o mesmo número de respostas certas em ambos os testes, o que não deixa de ser curioso. Algumas que deixei por fazer, verifiquei que tinham soluções óbvias, se soubesse o que era pretendido. Digamos que algumas perguntas não perguntavam nada... Vinte e cinco respostas certas em cada teste! Porreiro, e agora? Na página seguinte, havia a forma de cálculo para o QI, através de uma projecção gráfica. Fui ver como era o interior da minha cabeça, e interpretar os resultados. Para minha surpresa, havia caracterizações para todos os escalões de pontuação, menos para aquele em que caí. Nos outros, ou se era normal mas não génio, normal e muito desenvolto ou até normal mas acanhado... Para mim, dizia simplesmente: "Esta pode não ser a melhor maneira de avaliar o seu QI. Procure outros tipo de teste, já que o seu resultado é altamente improvável".

Ora porra!!! Altamente improvável?? Que quer isso dizer? Cá para mim, aquilo é brincadeira! Não há QI nenhum, uns são normais, outros distraídos, outros mais lentos, uns são mais desenrascados, outros mais atados, uns mais imaginativos, outros serão mais criativos. Mais burros que os outros ou mais inteligentes, já não acredito!

Já repararam que, actualmente, há muitas crianças "hiperactivas"? Chamam-lhes, muitas vezes, sobredotadas. Na cidade, chamam-lhes hiperactivas. Nas aldeias, como a minha, há 30 ou 35 anos atrás, chamavam-nos apenas quando fosse para comer! Hiperactivos? Sim, se éramos, começávamos na brincadeira às nove da manhã e acabávamos a brincadeira às nove da noite! Ninguém nos chamava hiperactivos. Ou sobredotados. Éramos os chamados "putos"! Quando muito, chamavam-nos também para fazer os curativos nos joelhos ou nos cotovelos, também nos podiam chamar ocasionalmente um ou outro adjectivo menos próprio para aqui reproduzir, se demorássemos a acorrer à chamada! Hiperactivos? Que era isso???
Penso que a inteligência, a existir tal distinção, abundava nessa altura e hoje é mal vista! Se um puto que brinca na escola já precisa de acompanhamento psicológico e é sobredotado, imagine-se no meu tempo, que brincávamos em todo o lado!! Até penso que é por isso que eu brinco com quase tudo - porque dantes era em todo o lado e (quase) com tudo!
Penso que todos se preocupam com os seus filhos. É natural, são os seus rebentos, são carne da sua carne, o que é um nojo do caraças! Mas deixar brincar as crianças sem lhes pôr logo este tipo de epítetos seria importante! Por outro lado, podiam ser mais simpáticos para os adultos que fazem testes com grande pompa e circunstância para no fim terem como classificação "Altamente improvável"! O tanas!

56 comentários:

  1. Estava a ver que nunca mais descobria o que poderíamos ter em comum, para além do mau feitio. São as cicatrizes :-)
    Nunca mais se viverão infâncias assim, e a culpa não é dos putos. Esta nossa mania de lhes dar o que não tivemos e de os mantermos na incubadora ate irem á tropa (agora já nem aí), priva-os de quase tudo o que é importante para fazer deles homens e mulheres a sério. Como se um dia não tivéssemos de os deixar enfrentar a vida.

    ResponderEliminar
  2. Bem, eu gosto de fazer esses testes e também sou viciada em Sudoku... serei normal?! Já tive resultados estranhos, mas nunca me apareceu um "altamente improvável" :D

    Quanto aos putos... tadinhos! Já nem os deixam ser putos.
    Muita cicatriz eu arranjei a subir e descer de árvores, tombos de bicicleta, corridas desenfreadas... as poucas que ainda se notam já não são cicatrizes... são medalhas :)

    ResponderEliminar
  3. Hoje em dia há muitos putos ditos com "hiperactividade" que eu diria antes terem "má educação"...E muitas vezes até são os pais a decidir que têm um menino hiperactivo, parece que não é preciso sequer diagnóstico médico...

    ResponderEliminar
  4. Francisco, e eu até nem era dos mais activos!! Mas não faltava espaço nem tempo para a brincadeira, que é o melhor desporto que se pode pôr uma criança a fazer. Mas não, hoje não se pode brincar, é a escola, a escola de música, o inglês, a natação e as artes marciais mais as aulas de compensação...
    Quando os putos descobrem que há um mundo lá fora já é tarde demais...

    ResponderEliminar
  5. Pronúncia, pelo que vi, o meu resultado é altamente improvável - o que não deixa de ser insultuoso. Não tenho culpa nenhuma de ter tido aquele resultado - quem faz a interpretação de resultados parte logo do princípio que não, não pode ser - nem tão burro nem (ou) tão inteligente. Para todos os outros, o resultado é válido. Para mim, é altamente improvável. Vão pó c#$%&/o!

    Nunca contes a um puto de hoje que dantes costumavas roubar fruta - é uma escandaleira!!!

    ResponderEliminar
  6. Adek, sem dúvida que os putos normais de hoje, os que ainda não engoliram PSPs nem Magalhães e ainda são capazes de falar, são considerados hiperactivos pelos pais, que não têm paciência para os aturar, e mal-educados pelos professores, que me parece que actualmente, não têm a melhor formação pedagógica para lidar com eles. Mas isso não posso afiançar, não assisto a aulas.

    ResponderEliminar
  7. Cirrus, o problema está na mania de padronizar tudo... uma seca.
    Também já tive uns resultados estranhos em testes de QI, mas vi pelo lado positivo... pelo menos não sou mais uma igual a TODOS os outros.

    Como sabes que "roubava" fruta?? :D

    ResponderEliminar
  8. Pode até não haver a tal distinção entre inteligentes e burros, como dizes, mas existem algumas cavalgaduras por aí que...
    Já os hiperactivos é um adjectivo que fica bem aos filhos de pais que têm dificuldade em impor regras. Os hiperactivos do meu tempo não tinham ritalina, tinham cinto ou havaianas.

    ResponderEliminar
  9. Pronúncia,

    Como seria possível não roubares fruta????

    ResponderEliminar
  10. Shiu!

    Olha que é segredo, não contes aos meus sobrinhos... :D

    ResponderEliminar
  11. Catsone, acredito, acredito...

    Os putos hoje não podem apanhar pó, não podem ter um gato, não podem brincar no jardim, enfim... Os pais são muito mais estúpidos que antigamente.

    ResponderEliminar
  12. Pronúncia, porquê?? Já se lembraram de fazer isso também?? Ou é preciso lembrá-los??

    ResponderEliminar
  13. Já se lembraram, não foi preciso lembrá-los... dei-lhes um raspanete valente e com a cara mais séria e zangada do mundo (mas com uma vontade de rir enorme).

    Se lhes contas... fico desmoralizada! E lá se vai a minha autoridade de tia que tanto trabalho me tem dado a conseguir e manter :D

    ResponderEliminar
  14. Pronúncia,

    Se eles já não soubessem que tudo fazias isso...

    AHAHAHAHAH!!!

    ResponderEliminar
  15. Pronúncia,

    Se eles já não soubessem que tudo fazias isso...

    AHAHAHAHAH!!!

    ResponderEliminar
  16. Eu uma vez acho que fiz uma coisa dessas na net, toda contente... cheguei ao fim e se queria saber o resultado tinha de pagar! O meu QI disparou lá para cima quando eu me limitei a desligar a página :P

    Os miúdos hoje são hiperactivos porque é a justificação dos pais para a ausência de regras, para o comportamento que os putos muitas vezes têm.. é mais fácil arranjar uma desculpa clínica do que apostar na educação... por acaso estive uma vez a discutir isto com um psicólogo :)

    ResponderEliminar
  17. Sara, uma vez um dos putos de um dos meus colegas teve um raciocínio do género:
    -Posso fazer o que quiser no meu quarto, mamã!!!
    -Nada disso, o quarto não é teu, é do papá e da mamã!

    Na escola, a professora disse-lhe, certa vez:
    - Ò XXX, mas o que estás a fazer? Na minha sala de aula quero respeito!!
    - A sala de aula não é sua! É dos senhores de Lisboa!!!

    Agora diz-me lá porque foi o puto com cinco anos para as sessões de psicologia! O raciocínio foi barbaramente correcto!

    ResponderEliminar
  18. como tu dizes os pais são os principais responsáveis na educação dos pais e ao que eu vejo hoje em dia a educação escasseia em algumas casas. a minha D* brinca corre, joga à bola e às cartas connosco, não se limita a vegetar em frente a uma tv. não é certamente hiperactiva nem sobredotada mas uma menina curiosa, que quer aprender tudo e que tem a energia normal de uma criança de 6 anos.


    que o teste deu resultados altamente improváveis já devias estar à espera... tu não és propriamente normal..... :P
    ahahahahah just joking. :D

    ResponderEliminar
  19. Anne, nem 8 nem 80. Há pais que dão uma educação execrável aos filhos pensando que estão a fazer o melhor. Limitar a vida de uma criança, quer seja através de actividades extra-curriculares quer seja através da TV é muito mau. Deixá-los brincar como nós fazíamos é muito melhor. pelo menos, penso eu, que não me considero nenhum anormal.
    Mas também é preciso deixar de se ter medo das constipações, das alergias, dos esfolanços... Parece que vivem em redomas de vidro. Quando chegarem lá fora... Ui... Até dói... Pelos vistos, a tua ainda há dias rachou a cabeça. Além da dor, que consequências tem mais?

    Eu não sou normal??? Que raio queres tu dizer com isso???

    ResponderEliminar
  20. nada nada...... :)
    ......................................................................

    ResponderEliminar
  21. Estou enganado, ou a Anne acabou de te chamar anormal? :-)

    Bom dia Anne!

    ResponderEliminar
  22. ahahahahah nada disso.
    só disse que ele não era normal. :P
    há diferenças... mas é no bom sentido não é no mau...
    tás a tentar arranjar barulho francisco? :)

    ResponderEliminar
  23. Francisco, foi, não foi???

    ResponderEliminar
  24. Anne, então eu não sou normal, no bom sentido... Queres explicar, se fazes o favor??

    Deixa lá ver ela a descalçar a bota!!

    :D

    ResponderEliminar
  25. Anne, Adoro ver o circo pegar fogo eh eh E mais forte que eu :-)

    ResponderEliminar
  26. Cirrus, eu acho que foi. Oh ve la bem...

    ResponderEliminar
  27. vocês são demais.... :)

    ok não és normal pela tua maneira de pensar. coneço poucas pessoas que pensem assim logo para mim, não és "normal" no sentido de comum....
    olha lá faço-te um elogio e ainda me cais em cima????
    preferias que dissesse que és igual a um qualquer zé que se vê em cada esquina?

    ResponderEliminar
  28. Olha ela a tentar descalçar a bota eh eh
    Anne, queres uma calçadeira, amiga?!

    ResponderEliminar
  29. não preciso obrigado. eu tenho perfeita noção daquilo que digo... :P

    até porque tenho consciência que não sou normal tb. ahahahahahahahah
    acho que a minha mãe me deixou cair demasiadas vezes com a cabeça no chão. :)

    ResponderEliminar
  30. eh eh eh eh eh entao ja somos 3...sim porque o dono da casa tambem deve ter caido da escada abaixo. Eu entao nem digo nada, para voces nao terem pena de mim

    ResponderEliminar
  31. :D olha ainda bem para nós... pelo menos não vamos pela cabeça da maioria...
    as massas nunca me atraíram. prefiro lutar sozinha pelo que eu acredito. :)

    ResponderEliminar
  32. Isso mesmo...eu tambem ha muito que nao como pela mao de ninguem :-)

    ResponderEliminar
  33. Bem, vou sair daqui e fazer-me á vida...para nao ser acusado de contribuir para a festa cigana :-)

    Uma beijoca e bom fim de semana para ti, Anne.

    ResponderEliminar
  34. igualmente francisco. :) bjs

    ResponderEliminar
  35. Anne, obrigado pelo elogio!!

    :D

    É evidente que há traços em nós que fazem com que não sejamos considerados normais. Nesse aspecto, também tu estás fora "da graça de Deus" - e ainda bem. Quanto mais não seja, somos lutadores, e lutamos por algo com alguma naturalidade, sem extremismos. O que é bom.

    Caí das escadas em pequeno, de facto. E bati com a cabeça no cano de escape do carro!

    ResponderEliminar
  36. Quanto à ranbóia que aqui vai... Por quem sois?? Estejam à vontade...

    ResponderEliminar
  37. pois, o cano de escape deve ter feito os seus estragos sem dúvida... :)

    ResponderEliminar
  38. Anne, só apurou uma obra-prima de mestre! E não a prima do mestre de obras!

    ResponderEliminar
  39. Vou-te mandar para qui a Ana, porque estou na hora da cesta e ela não me deixa dormir :-)

    ResponderEliminar
  40. Isto com os velhotes é mesmo assim...

    ResponderEliminar
  41. Velhotes, velhotes, mas que se levanta as 4:30 da matina :-)

    ResponderEliminar
  42. ola Cirrus,

    Nao ligues ao ke diz o Francisco, a dizer ke nao o deixo dormir, rsrssrs
    Amanha kd. tiver na hora da cesta dele, vou la bater-lhe a janela, nem ke tenha ke levar um escadote, lol

    ResponderEliminar
  43. ja pareces os putos ke cuido, dormem do meio dia as tres da tarde
    lol

    ResponderEliminar
  44. Ana, não faças aqui muito estrilho, que isto é uma casa de respeito

    ResponderEliminar
  45. ja tou mesmo de saida

    beijocas
    bom fim de semana

    ResponderEliminar
  46. Francisco, precisamente - os velhotes dormem menos...

    ResponderEliminar
  47. Ana, pode fazer todo o estrilho que lhe aprouver - a casa é de tolerância democrática!

    ResponderEliminar
  48. eu cá acho que é altamente provável que o teu QI seja hiperactivo

    ResponderEliminar
  49. EHEHEHEHEH!!!!

    Também eu... Também eu...

    ResponderEliminar
  50. Fizeste arranjos na casa?:)

    ResponderEliminar
  51. Rose, apenas experiências, nada mais...

    ResponderEliminar
  52. oohhhh pá! E logo agora que me falta o tempo para tirar o brevet :-)

    Bem...pode ser que se arranje um diploma desses tirados ao fim de semana. Se o outro pode... eh eh

    ResponderEliminar
  53. Nada disso, Francisco! Já deste mostras de que podes pilotar bem um avião... o teu voa que é uma maravilha!!

    ResponderEliminar
  54. Apesar dos meus tenrinhos 18 anos (a caminho dos 19) eu ainda passava o dia na rua, na terra, isso é que era uma vida de criança! Subir ás árvores e roubar fruta no pomar dos vizinhos, andar a saltar muros de um lado para o outro, cavar na terra à procura de algo, supostamente, escondido...era uma bom tempo :)

    ResponderEliminar
  55. Nem mais. Era tão bom, não era???

    Obrigado pela visita!

    ResponderEliminar

LEVANTAR VOO AQUI, POR FAVOR