sábado, 13 de julho de 2013

A MIGRAÇÃO DO OXIGÉNIO

Ilustração Marco Joel Santos

Das partículas essenciais à vida, os primos C e O, - não confundir com CEO (que normalmente designa um senhor que ganha uma pipa de massa por ir a reuniões onde se bebe piña colada e se comem tremoços com pinças) – são dos mais importantes. C designa o Carbono, que é o elemento em que se baseia quase toda a vida na Terra. As árvores, o corpo humano, os passarinhos e às vezes o frango de churrasco estão carregados de Carbono. O O é o Oxigénio, que é o gás essencial para a respiração aeróbica que a esmagadora maioria dos batráquios, tainhas e demais mamíferos usa nas guelras, como as viúvas negras e as noivas virgens.
Para que o nosso cérebro consiga pensar, tem de ser arejado com oxigénio. Obviamente que tem de ser estanque, para que o oxigénio não saia pela moleirinha ou pela nuca, caso contrário não se dão certas reacções químicas que se dão nos neurónios e tal. Essas coisas, que estudamos em Biologia, no sofá da sala, a ouvir o Dark Side of the Moon. O oxigénio migra, assim, por diversas partes do corpo humano (ou não), até chegar às células, e as células mais importantes do cérebro são os neurónios. Que às vezes são substituídos por teias de aranha.
Paralelamente, o oxigénio é um dos elementos presentes numa série de fluidos, como a água (H2O) e o peróxido de hidrogénio (H2O2), mais conhecido como água oxigenada, que serve, entre outras coisas, para ocupar espaço nos armários da casa de banho. Também serve, e isto é que é determinante para o caso em questão, para fazer de uma escura cabeleira um lindo chapéu de palha. Normalmente, quem quer aclarar o cabelo desta forma, utiliza o oxigénio por fora, ou seja, lavando o cabelo com água oxigenada. Mas dá-me a impressão que outros têm o casco do cocuruto furado, e o oxigénio passa do cérebro para o cabelo livremente, não obstante as aranhas também aproveitarem as aberturas para invadir o cérebro e tecerem as suas teias que progressivamente vão substituindo os neurónios.
A cor de cabelo de Assunção Esteves (esteve, está e nunca mais vai com os porcos) talvez indicie um destes casos extremos de porosidade cerebral. Se tal for verdade, como piamente acredito, estão explicadas as diversas atitudezinhas que ultimamente tivemos de aturar à senhora presidente da assembleia da República. A sua carinha laroca de mocinha rebeldezinha-mas-de-jeito-suave-assim-quase-à-betinha-soutien-benetton-que-engravida-com-a-nortada é de facto indiciadora de que não tem grande controlo cerebral sobre a verborreia incontrolável que lhe sai pelos bofes de vez em quando. Eu acho que a migração do oxigénio da menina Assunção não se lhe fica pelas teias de aranha ou pelas aranhas em si, que acredito já tenha vendido para o fabrico de cosméticos franceses com partículas de nomes impronunciáveis que toda a gente finge que sabe o que fazem à epiderme ou à cútis (que eu também nunca percebi bem o que é). Assim como o L. Casei Imunitass. Tá-se.
Demorou 40 anos, mas finalmente, aconteceu. Acusou-me a menina Assunção de ser nazi, de ser o seu verdugo, o seu carrasco. Nunca tal me tinha acontecido. Já me tinham acusado de ser comunista, mas como eu confirmei, nunca mais tal me aconteceu. Depois é certo que me acusaram de ser um perigoso esquerdista caviar, mas sou dextro e não tenho por hábito comer coisas mais caras que o meu ordenado. A menina Assunção, com a sua carinha laroca de não-me-toques-que-eu-sou-virgem-ofendida-em-dias-santos acusa-me infundadamente. A mim e ao resto do povo que exige a demissão de um governo a quem extraíram o cérebro com um gancho pelo nariz, como fazem às múmias presidenciais portuguesas. Consta que demorou bastante a encontrar… Mas acusa-nos infundadamente por enquanto. Porque a travessa de onde ela come desde os 42 anos é a mesma de onde eu não chegarei sequer a petiscar. E quando isso acontecer, talvez me apeteça apertar-lhe o delgado-e-alvo-pescocinho-de-não-me-toques-que-me-desafinas… Talvez ela tenha razão, talvez seja melhor alterar as regras de admissão às galerias da assembleia da República. Assim talvez pareçam o seu cérebro, com teias de aranha. Talvez se sinta mais em casa e sossegue o autoritarismo laroco-tipo-eu-é-que-sou-a-prelzidente-e-não-chateiem-mais-a-menina-que-ela-zanga-se-e-ainda-grita-e-faz-uma-birrinha.
A culpa desta merda toda é da Benetton fazer preservativos como o cérebro da Assunçãozinha – porosos… É mais um retrato da merdinha queque-menino-bem-filho-de-fulano-de-tal-e-que-andou-a-colar-cartazes que tem a pretensão de se querer fazer respeitar. Como dizem os americanos: Breaking News, Çãozinha: vais tarde comó caralho…


6 comentários:

  1. O problema é que não, ainda... Porra que estamos com um elenco de políticos nas nossas instituições principais que é de vómito!!

    ResponderEliminar
  2. Meu deus , não desrespeitem os eleitos pelo povo! e não é que ela tem razão? O povo tem gostado e votado em cavaco, Portas e Passos, de forma maioritária e a maioria tem sempre razão? Ou será que não? é hora da carneirada se revoltar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Camarada, já não tenho dessas ilusões...

      Eliminar
  3. Ainda estou à espera que o Pacheco destrave a sua AK-47.

    ResponderEliminar

LEVANTAR VOO AQUI, POR FAVOR