sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

NAVEGAÇÃO À VISTA

Foto AFP
O Papa diz que o Big Bang existiu! Bem, podia ser uma notícia bombástica. A verdade, porém, é que não é bem assim. Não há muito tempo, a Igreja ainda ensinava que o mundo teria sido criado por Deus à seis mil anos. Logo, admitir a existência do Big Bang, por certo, seria um avanço imenso nas ideias transmitidas pela Igreja. E até talvez sejam. Ou não...
O Big Bang é uma teoria que explica o início do Universo. No início dos tempos, toda a matéria existente no Universo actual se encontraria comprimida num ponto infinitesimal, de densidade e temperatura inimagináveis. Ao explodir, espalhou matéria em todas as direcções, que, ao arrefecer e através de diversas forças físicas, teria formado tudo o que hoje conhecemos do Universo. É uma teoria com muitos problemas, digo eu, o que não quer dizer que esteja errada ou certa. Se tudo estava dentro do ponto, o que havia no seu exterior? Com certeza devia haver algo, pois o ponto expandiu-se ao longo de algo. E o ponto, por quanto tempo conteve toda a matéria do Universo? Um momento, um segundo, uma hora? Se esses eram os primeiros momentos do Universo, quer dizer que não havia tempo antes? Antes da matéria se ter concentrado nesse ponto, onde estava? Talvez um dia a Ciência explique estas questões.
O Papa é bem mais prático e acaba com a concorrência que queria pensar um pouco - Deus é que fez o Big Bang! E mais nada! E assim, na prática, ficamos a saber o mesmo, porque as perguntas à volta de Deus conseguem ser ainda mais desconcertantes que as que emergem do Big Bang. Ao tornar a questão numa questão de Fé, Bento XVI acaba por aparentemente aliar-se à Ciência. E, verdade, seja dita, se tal acontecer, a Ciência não fica a ganhar.
Bento XVI afirma que alguns cientistas querem que acreditemos que o Universo se criou por puro acaso, e que as ideias científicas são limitadoras, uma vez que não dão resposta às questões maiores, como esta: o que provocou (se existiu) o Big Bang? Ora, Deus é uma resposta óbvia - nem precisa de provas. Para um católico, a Fé move montanhas e se acredita que Deus estava no início dos Tempos, obviamente o ponto infinitesimal estava no seu bolso pequenino dos jeans, e ao comprar o jornal, caiu ao chão com uns trocos soltos. Bang! Ou mais ou menos isto, não quero ridicularizar Deus perante ninguém, cada um acredita naquilo que pensa que deve acreditar. Estou só a dar um exemplo figurado de como a coisa pode ter ocorrido.
E até aqui tudo bem, é uma maneira simpática de afastar a Igreja dos grunhos primos americanos que ainda ensinam na escola secundária o criacionismo. Nisso a Igreja Católica está muito à frente e já ensina que os seis dias de criação são uma alegoria. Agora, considerar as ideias científicas como limitadoras da mente humana... Aí é que penso que o Papa se espalhou. Ou já se esqueceu que, se não fosse alguém ter essas ideias limitadoras, ele ainda viveria numa Terra chata como uma panqueca, à volta da qual giraria o Sol? Limitadora parece-me ser a ideia de que se algo foi feito, foi Deus que fez. Aliás, é uma ideia reconfortante para qualquer católico, e muito diz da identidade comum a todos os países católicos do Mundo. Foi bem feito, foi Deus. Um Terramoto? Deus trabalha de formas misteriosas... Morrem crianças de fome? É Deus a testar os pais... A matou B? Tentação do Diabo... Temos sempre desculpa entre os Céus. Ser católico é cómodo - nunca se tem culpa de nada... E assim, o Big Bang é obra de Deus. E outras coisas com nomes parecidos, tipo Big Mac, Burguer King, etc. Foi Deus. E o Bento XVI, antes que alguém confirme mesmo que o Big Bang existiu mesmo, já o reclamou para Deus! Nada como navegar à vista. Andar a descobrir pelo meio dos oceanos dá muito trabalho.

9 comentários:

  1. "E no entanto ela move-se..."

    ResponderEliminar
  2. Pronúncia, parece que sim, e já na altura dava sinais disso...

    ResponderEliminar
  3. Outro dia tive uma (des)conversa com um indivíduo de uma igreja protestante. Devo dizer-te que fiquei chocado com as provas que apresentam para o Adão e a Eva, para incriminar o malvado do Darwin, etc, etc. Meteu-me um sentimento parecido com medo.
    Quanto à igreja católica, parece uma nau sem rumo, neste momento. Liderada por um homem sem carisma que tenta aparecer mandando umas postas para entreter a malta.

    ResponderEliminar
  4. Cat, por isso mesmo a farpa aos primos americanos. Hoje fiz uma pesquisa por Big Bang + Religion. Foi assustador, como dizes...

    Ele lá se vai equilibrando... entre os escândalos da Igreja, até se tem safado bem...

    ResponderEliminar
  5. Olá queria parabenizar você pelo blog e pedir que visita se o meu simples blog: informativofolhetimcultural.blogspot.com será uma honra ter a visita tua lá. Espero que goste...
    Ass: Magno Oliveira
    Folhetim Cultural

    ResponderEliminar
  6. Gostava de ter essa espécie de fé! Nada de dúvidas! Deus responderia a todas. Prático e confortável!

    ResponderEliminar
  7. Malena, mas a Fé não é a procura de uma situação cómoda? De acreditar naquilo que não se suspeita sequer se existe ou não? É cómodo e simples... Não dá resposta a porra nenhuma, é um facto. Mas lá que é cómodo...

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

LEVANTAR VOO AQUI, POR FAVOR